19.07.17

Aos 65 anos, Marco Toledo conquista importante título em competição do Quarto de Milha

“Tenha fé em Deus, educação e muita paciência com os cavalos. Devemos ‘mexer’ com carinho, amor e procurar entender os animais”. Essa seria a receita de sucesso de Marco Antônio Toledo de Souza? Aos 65 anos, o atleta revela os ingredientes que o consagraram imortal no Hall da Fama do Quarto de Milha e dono de vários títulos da raça. O mais recente é o de campeão da categoria Master, em Maneabilidade e Velocidade, montando WV Gray Easy (Le Magnifique FG x Twist San Badger).

O almejado troféu foi conquistado durante a Edição Especial de 40 anos do Campeonato Nacional da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), que começou sábado (15/07) e vai até domingo (23/07), em Avaré (SP). Depois de atravessar ‘um oceano de abraços’ e de ‘Valeu Marcão!’, ele afirmou com os olhos marejados: “Ainda é muita emoção vencer uma prova da ABQM. Competir ao lado de filhos e netos torna esse prêmio ainda mais especial. Só tenho de agradecer a Deus”.

Marco Toledo e a satisfação de mais uma conquista

O treinador que começou a galopar aos sete anos de idade, pelas mãos experientes do seu pai, Chico Toledo, conta que chega a montar 12 animais por dia. “Meu pai conseguiu educar seus oito filhos, sendo quatro mulheres e quatro homens, que foram para lida, domando e montando. Na época, os animais desembarcavam de um trem, em Avaí (SP), e eram levados em comitiva até Gália (SP), na região de Bauru. E como o meu pai, criei toda a minha família com meu trabalho com o cavalo”, orgulha-se da tradição.

Conhecido também como o poeta que declama as coisas do campo, imprimindo em seus versos estrofes da sua própria história e experiência, debaixo de quase sete décadas de vida, Marco declara modestamente: “Todo dia aprendo alguma coisa na lida com os animais, nas provas que participo e se tem um curso novo, vou lá aprender mais”. No mês de setembro deste ano, ele vai passar conhecimento aos seus alunos, em um curso que irá ministrar em Bezerros, no interior do Estado de Pernambuco.

Fonte: Jean Vasconcellos

Comentários