28.09.16

Sempre quis adotar um cavalo? Saiba onde e como

É muito mais corriqueira a adoção de animais de pequeno porte, vítimas de abandono e maus-tratos, mas os animais de médio e grande porte como cavalos, bois, porcos e cabras também sofrem esses abusos. E, assim como seus primos menores, os grandões também podem ganhar um novo lar.

O resgate desses animais infelizmente é rotina no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). No CCZ de São Paulo, por exemplo, cerca de 80 animais de grande porte são resgatados por ano. Os cavalos resgatados têm um histórico de abandono, fuga ou roubo. Uma das justificativas é a velhice, quando esses animais não têm mais condições físicas de encarar o trabalho pesado e são abandonados nas ruas. Outra questão são os animais de carroceiros, que muitas vezes não têm o tratamento adequado. Nesses casos, o CCZ precisa do apoio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para realizar a apreensão tanto do cavalo quanto da carroça.

Magneto é um dos animais resgatados pelo Centro de Controle de Zoonozes; img: Divulgação

Magneto é um dos animais resgatados pelo Centro de Controle de Zoonoses; img: Divulgação

“A remoção destes animais também acontece para evitar acidentes, um animal desses na via corre o risco de se machucar e causar acidentes graves. Além disso o CCZ tem a função de controle de doenças”, explica Telma Tavares, médica veterinária do CCZ.

Recuperação

Após o resgate, os animais passam por uma bateria de exames médicos e, quando necessário, recebem o atendimento devido. De acordo com a Dra. Telma, todos os animais resgatados são vacinados, vermifugados e recebem um microchip, no tamanho de um grão de feijão, que é injetado na pele do animal, com o objetivo de localizá-los em caso de fuga. Além disso, todos os machos são castrados.

Adoção

Todos os cavalos disponíveis para adoção são liberados apenas para atividades de lazer. “Quase todos estão bem de saúde e completamente aptos para monta e passeio, mas não para trabalho”, diz Telma. “Já alguns têm histórico de maus-tratos e podem ter fraturas ou outros problemas. Esses animais são doados como pets e não podem ser montados.”

Também na fila de espera está Ciclope, um cavalo mestiço de dez anos, cego de um olho; img: Divulgação

Ciclope, um cavalo mestiço de dez anos, tem esse nome por ser cego de um olho; img: Divulgação

A ONG Associação Paulista de Auxílio aos Animais (APAA) é responsável pelo processo de adoção dos animais do CCZ. Os interessados devem apresentar documentação que comprove que têm condições de abrigar o cavalo adequadamente e passam por uma entrevista. Um dos principais requisitos é que o adotante tenha um sítio ou fazenda, cadastrada no sistema de Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave) da Secretaria Estadual da Agricultura.

Após a conclusão do processo, a ONG faz monitoramento dos animais por telefone e e-mail, além de visitas sem aviso prévio para verificar as condições do animal adotado. O CCZ também entra em contato com o proprietário do animal a cada dois meses para saber de sua situação. Todos esses cuidados visam evitar mal-entendidos e arrependimentos após a adoção. “Grande parte dos que se candidatam não sabem como é cuidar de um cavalo. É totalmente diferente de ter um cachorro”, conta Telma. “Quando percebem como é, alguns desistem.”

Estrela, de apenas dois anos e meio, foi resgatada das ruas com uma grande ferida na pata; img: Divulgação

Estrela, de apenas dois anos e meio, foi resgatada das ruas com uma grande ferida na pata; img: Divulgação

O novo dono do cavalo precisar arcar com algumas despesas já na hora de retirar o animal: a Guia de Trânsito Animal (GTA) que custa R$ 14,13, os exames para trânsito, que custam R$ 68 e o transporte do animal até sua nova casa. Para obter mais informações, entre em contato pelo telefone (11) 3397-8962.

Visite os bichos

Mesmo se você não puder adotar um dos animais resgatados, visitas são mais que bem-vindas. O CCZ está aberto a visitação pública de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h, e aos sábados, das 9 às 15h. Os animais são mansos e podem ser tocados. Afinal, quem não gosta de um carinho?   O CCZ de São Paulo fica na Rua Santa Eulália, 86 – Santana,

Denuncie abandono e maus-tratos

Para solicitar a retirada de algum animal que esteja abandonado em via pública, ligue para o CCZ paulista através do número 156. Há também muitos outros centros que realizam trabalho semelhante, de resgate e adoção de cavalos, espalhados pelo Brasil. Confira alguns contatos:

CCZ Campo Grande (MS) – (67) 3313-5000
CCZ Curitiba (PR) – (41) 3314-5210
CCZ Florianópolis (SC) – (48) 3237-6890
CCZ Fortaleza (CE) – (85) 3131-7849
CCZ Guarulhos (SP) – (11) 2436-3666
CCZ João Pessoa (PB) – (83) 3218-9357
CCZ Manaus (AM) – (92) 3625-2655
CCZ Marabá (PA) – (94) 3324-4411
CCZ Natal (RN) – (84) 3232-8235
CCZ Niteroi (RJ) – (21) 2625-8441
CCZ Salvador (BA) – (71) 3611-7354
CCZ São José dos Campos (SP) – (12) 3931-2292
CCZ São Paulo (SP) – (11) 3397-8962
CCZ Teresina (PI) – (86) 3215-9149

Brasil Hipismo com a fonte: Successful Farming e Prefeitura de São Paulo

Comentários