Após Paralimpíada, Rodolpho Riskalla retoma provas de Adestramento Clássico e garante prêmio de melhor cavaleiro em Internacional 3* na França

O cavaleiro brasileiro Rodolpho Riskalla, integrante do Time Brasil Paraequestre na Rio 2016, teve uma excelente atuação no último final de semana no Concurso Internacional de Adestramento 3* em Nice na França, entre 10 e 13/8. Apresentando Don Henrico, um hannoverano de 14 anos cedido pelo criatório alemão Schafhof, de propriedade da top alemã Ann Katrin Linsenhof, Rodolpho garantiu três segundos lugares: no Prêmio St George, 68,237% de aproveitamento, Intermediaria I, 67,869%, e finalmente, no Freesytle Intermediaria I, 67,450%.

Rodolpho e Don Henrico deram show em Nice

Com esse resultado que marcou sua volta ao circuito oficial de Adestramento Clássico, o cavaleiro de 32 anos que 10 meses antes da Rio 2016 perdeu a parte inferior das duas pernas e uma mão e dedos da outra, ganhou o Prêmio Allege Ideal, concedido ao melhor representante do evento da série na Small Tour (St George e Intermediaria I). Na Big Tour (Intermediaria II e Grand Prix), o espanhol Sergio Palos Martin foi o vencedor.

Missão cumprida para Rodolpho Riskalla

“O Prêmio “Allege Ideal” recompensa os dois melhores cavaleiros das provas intarnacionais, que melhor respeitaram os valores da leveza durante a integralidade da competicão: nas cocheiras, aquecimento e na pista. Levando em conta a preocupação da integridade física e mental do cavalo, o prazer da prática equestre com eficicácia, permitindo principalmente de chegar na reunião do cavalo nas melhores condições possíveis”, explicou Rodolpho, radicado em Paris. “Don Henrico, que cavalo! Essa foi a nossa primeira prova após somente um mês juntos”, comemorou o brasileiro.

Resultado completo

CBH com img cedidas

Giovana Pass e Zingaro de Lyw faturam Grand Prix no Internacional de Adestramento na Hípica Paulista

Na sexta-feira, 30/6, foi dada largada ao 1º Concurso de Adestramento Internacional e Nacional da temporada na Sociedade Hípica Paulista. As reprises das séries internacionais – Small e Big Tour – são válidas como qualificativa técnica para formação das equipes brasileiras nos Jogos Sul Americanos Odesur 2018 em Cochabamba na Bolívia, entre 9 e 20 de maio, e os Jogos Equestres Mundiais 2018, festa máxima do esporte em todas as modalidades equestres, em Tryon nos Estados Unidos, de 10 a 23 de setembro. Estão frente ao julgamento na Hípica Paulista, o juiz olímpico britânico Stephen Clarke, o chileno Max Piraino Lyon, Cesar Lopardo Grana e Sandra Smith de Oliveira Martins, da Argentina, com a juiza internacional brasileira Claudia Mesquita na presidência.

Giovana Passa e Zingaro de Lyw; conjunto vencedor do Grand Prix

Na principal disputa do dia, o Grand Prix, a amazona olímpica da casa Giovana Pass com seu lusitano Zingaro de Lyw deu show, em especial, em movimentos de reunião máxima como Piaffe e foi a grande vencedora com expressivo índice de 69,300%. Giovana, 19, foi a caçula do Time Brasil na Rio 2016 e desde os Jogos não competia com Zingaro. “Estou feliz demais com meu resultado. Essa foi a nossa primeira apresentação depois da Olimpíada e tivemos um desempenho ainda melhor”, comemorou Giovana, estudante de veterinária.

Giovana e Zingaro executando Piaffe

Já o 2º posto ficou com o medalhista pan-americano e cavaleiro olímpico Leandro Silva apresentando o cavalo oldenburger DiCaprio, seu companheiro na conquista do bronze por equipes e o 6º posto individual em Toronto 2015, computando 68,260%. Em 3º lugar chegou Mauro Pereira Junior apresentando Banzai AMM, cavalo de criação nacional, 65,550%.

Leandro e Di Caprio

Na Prêmio St Georges, válido como qualificativa para o Odesur, Mauro Pereira Junior venceu montando Comanche AMM, 67,330%, e ficou em 3º na mesma série com Don Enrico AMM. Enquanto o 2º posto ficou com Sergio de Fiori apresentando Akira AMM, 66,342%. As três montarias são criação nacional do Haras Cachoeira, de propriedade de Ana Maria Mantegazza.

Nesse sábado, 1/7, a disputas seguem a partir das 08h30 começando com a série Nacional, seguida pela Internacional. No domingo, 2/7, as reprises Freestyle (exercícios obrigatórios em sequencia livre e acompanhadas de música) são o momento mais esperado no encerramento da competição.

Grand Prix – 30/6
1º Giovana Pass / Zingaro de Lyw – BRA – 69,300%
2º Leandro Silva / DiCaprio – BRA – 68,260%
3º Mauro Pereira Junior / Banzai AAM – BRA – 65,500%
4º Luiza Tavares de Almeida / Aoleo – BRA – 64,760%
5º Sarah Waddell / Quixote Arco Polo Z – BRA – 64,720%

Prix St George – 30/6
1º Mauro Pereira Junior / Comanche AMM – BRA – 67,053%
2º Sergio de Fiori / Akira AMM – BRA – 66,342%
3º Mauro Pereira da Silva Jr / Don Enrico AMM – BRA – 65,658%
4º Isabela do Valle Arenzon / Zephiro da Raposa VQ – BRA – 64,737%

FEI Intermediate A – 30/6
1º Pia Aragão / Zepelim Interagro – Fazenda Interagro – 64,084%

 

Ordens de Entrada e Resultados completos.

João Victor Marcari Oliva vai defender o Brasil no CHIO Aachen, meca do hipismo mundial

Em julho, de 14 a 23, os amantes dos esportes hípicos vão estar com a atenção voltada para o CHIO Aachen, na Alemanha, o mais esperado evento mundial do segmento. E este ano, nas pistas do Deutsche Bank Stadium, palco das competições de Adestramento, o Brasil será representado pelo jovem talento de 21 anos, João Victor Marcari Oliva, que montando o Lusitano Xamã dos Pinhais compete no Concurso de Dressage Internacional (CDI4*): a estreia do conjunto é no Grand Prix (quarta-feira 19 às 16h30, hora local) e em se classificando volta para o Grand Prix Freestyle (sábado 22 às 21h30). Aberto apenas a atletas convidados, o CDI4* reúne 40 conjuntos de 13 países.

João com seu Xamã dos Pinhais em ação no Internacional de Wiesbaden 2017, na Alemanha

Esta é a terceira vez que um atleta brasileiro do Adestramento compete no CHIO Aachen: em 2012, Luiza Almeida montando o também Lusitano Samba representou o país no evento que naquele ano tinha o Rio de Janeiro como a cidade parceira, tradição do evento. Em 1972, Ingrid Borhoff Troyko defendeu o Brasil e garantiu um 2º lugar em Aachen.

O CDI4* é uma das muitas atrações do CHIO Aachen. Ao longo de dez dias serão realizadas competições de Dressage (incluindo um CDIO5*), Salto, Atrelagem (com 4 cavalos), Concurso Completo de Equitação (CCE) e Volteio. Ao todo, 350 cavaleiros entre os tops mundiais das cinco modalidades e representando 30 países vão em busca da milionária premiação de 2,7 milhões de euros.

Além das competições, variados espetáculos equestres e eventos paralelos fazem parte da programação e envolvem outros 550 cavalos. O público deste ano também deve superar o de 2016, quando mais de 348 mil pessoas foram assistir o evento.

Instituído em 1898 e considerado o concurso hípico mais tradicional do mundo, o CHIO Aachen se distribui em diferentes arenas: a Dressage acontece no Deutsche Bank Stadium que tem capacidade para 6.300 pessoas;

O estádio Deutsche Bank, palco do Adestramento no CHIO Aachen

O Salto é atração no Main Stadium que recebe 40 mil pessoas; o Concurso Completo de Equitação se divide entre as pistas de Dressage, Salto e o Aachen Soers, palco da prova de cross-country; a Atrelagem acontece no Driving Stadium e no Soers Marathon Course, enquanto o Volteio terá como palco o Albert-Vahle Arena que tem capacidade para 1.100 pessoas.

São muitas as atrações do CHIO Aachen, começando pela Cerimônia Oficial de Abertura na terça-feira, 18/7, às 19h45 (hora local) com desfile dos países participantes, apresentações equestres da Holanda, país parceiro deste ano e homenagens. Mais de 200 cavalos e 800 pessoas estarão envolvidas neste espetáculo. No Deutsche Bank Stadium, dias 14 e 15, outro momento imperdível é o concerto “Horses & Symphony” com apresentações equestres ao som da Orquestra Sinfônica de Aachen.

Das competições, os maiores destaques ficam com a Copa das Nações do Salto (sábado 22) e duas disputas no domingo 23: o Grand Prix Freestyle do CDIO5* e o Rolex Grand Prix de Salto, competições que reúnem os tops mundiais das duas modalidades.

O encerramento do evento, também dia 23, a partir das 17h00, é outro momento mágico para quem vai ao CHIO Aachen: ao som de “Muss I Denn”, tradicional canção alemã, cavaleiros e plateia acenam lenços brancos – que se traduz na promessa de todos retornarem no ano seguinte – tradição que vem desde 1953.

Mais de 600 jornalistas de todo mundo estão credenciados para o CHIO Aachen 2017. A TV alemã fará 30 horas de cobertura do evento que será transmitido para 140 países.

Fonte: Coudelaria Ilha Verde – Rute Araújo ; site oficial: www.chioaachen.de

Centro Hípico JF em Franco da Rocha: opção perfeita e personalizada de treinamento

O mercado de cavalos no Brasil – que tem o segundo maior rebanho do mundo – é, sem dúvida, atraente. O cavaleiro português José Faria, 33, fez essa aposta e há três anos e meio veio morar em São Paulo, onde mantém um Centro Hípico próprio. Há pouco mais de 18 meses está a frente do Centro Hípico JF, na região de Franco da Rocha, entre Jundiaí e Mairiporã, a cerca de 50 minutos de São Paulo.

Treino de Adestramento no Centro Hípico JF

Entrada do Centro Hípico e um dos pavilhões de cocheiras

“Meu pai é criador e comerciante de cavalos, a maioria de tourada e atrelagem. Cresci nesse meio e desde muito novo comecei a montar. Toda minha família – pai, mãe e meus dois irmãos – trabalha com cavalos”, contou José Faria, que em 2017 já fez duas competições de adestramento nos rankings da Sociedade Hípica Paulista e Clube Hípico de Santo Amaro, respectivamente, com um 2º e um 1º lugar.

José Faria satisfeito com o desempenho de Alther Função no Ranking de Adestramento da Sociedade Hípica Paulista

“Competi com o Alther Função, que tem 12 anos, mas nunca tinha sido empistado em provas. Fizemos a categoria média II e devemos seguir nesse nível para no ano que vem competir na São Jorge.”

Embora o principal foco de José Faria seja o Adestramento Clássico, o cavaleiro faz questão de manter a tradição portuguesa em casa e direito a flash com seu filho Afonsinho

A infraestrutura no Centro Hípico JF é completa. “Temos 20 cocheiras, de 5 por 4 metros, uma pista coberta recém inaugurada, além de uma pista oficial de adestramento. Também contamos com quatro piquetes e já estamos em vias transformá-los em oito. Oferecemos hospedagem, treinamento, aulas de equitação clássica , equitação de trabalho e para iniciantes que querem começar a montar”, explica o cavaleiro.

O picadeiro coberto do Centro Hípico JF foi recém inaugurado

Todo o conforto para os cavalos em cocheiras de 5 por 4 metros

“Tenho uma égua no Centro Hípico JF e o carinho e a atenção que ela recebe não tem preço. A Georgia chegou muito assustada e hoje é um outro cavalo. O ambiente é diferenciado. É como se fosse uma grande família. Não vejo a Georgia em nenhum outro lugar. Parabéns pelo trabalho!”, destaca a amazona Naime Endo.

Curtindo o piquete com os membros devidamente protegidos

Claudia Uenishi, outra cliente do Centro Hípico JF, também está mais que satisfeita. ” Tenho dois cavalos no Centro Hípico JF: o Escudeiro Interagro, campeão de Equitação de Trabalho, e o Alther Função que recém estreou e está apresentando ótimos resultados no Adestramento. Conheço o José Faria, profissional de dedicado e experiente cavaleiro visando sempre o bem estar do animal, e toda a sua família em Portugal também”, comenta Claudia.

Claudia curtindo seu cavalo no Centro Hípico JF

” Estou muito feliz com o local, baias sempre limpas e arejadas!  Espaço amplo, picadeiro coberto onde sempre podemos treinar, piquetes que acho importante para os cavalos e principalmente o cuidado e carinho com os nossos animais que são parte de nossas famílias. Não vejo o Escudeiro e o Alther em outro lugar.  Adoro estar lá e todos nós clientes somos parte de uma família Centro Hípico JF”, garante a amazona.

Afonsinho, jovem herdeiro do casal José Faria e Ines Oliveira, em momento de carinho com seu cãozinho

Ainda em Portugal, José Faria competia com sucesso na Equitação de Trabalho, mas agora seu foco é o adestramento. O cavaleiro também vem fazendo clínicas com renomado treinador sueco Stefan Johnson.

Mais um flash do conjunto José Faria e Alther da Função, de propriedade de Claudia Uenishi

“A Equitação de Trabalho pode ser considerada um trampolim para o Adestramento Clássico. No momento, a maioria dos cavalos em treinamento no Centro Hípico JF é lusitana, temos também dois meio sangue árabes. Em Portugal já trabalhei com cavalos warmblood e aqui no Brasil estou em busca dessa oportunidade. Trabalho com cavalos desde a doma até alto rendimento no adestramento e também estamos a disposição para iniciar cavalos para modalidade Salto”, destaca José Faria.

Cuidado máximo com os cavalos no Centro Hípico JF

Investimento na excelência do piso

“Estou a gostar bastante do Brasil, um país muito bonito, acolhedor e muito bom pra a prática da equitação com tendencia a se desenvolver muito mais”, afirma o cavaleiro. “Convido a todos a nos visitar no Centro Hípico JF, um espaço acolhedor e meio a natureza. Atualmente temos duas vagas para treinamento de cavalos e estamos disponíveis com as portas abertas para quem quiser nos visitar.”

Centro Hípico JF: espaço acolhedor meio a natureza a menos de uma hora da capital paulista

Centro Hípico JF
Estrada da Vargem Grande,av. das Seriemas 2500
Franco da Rocha
Contato: 11 99968.1144 José Faria e 11 99749.2080 Ines Oliveira

Fique de olho nas redes sociais do Centro Hípico JF
www.facebook.com/centrohipicojf
Instagram: @centrohipicojf

 

Fotos: Ney Messi (Centro Hípico JF) e Luis Ruas (prova Adestramento)

Comitê organizador dos Jogos Equestres Mundiais 2018 apresenta vídeo promocional do maior espetáculo de hipismo mundial

O comitê organizador dos Jogos Equestres Mundiais – FEI World Equestrian Games Tryon 2018 – lançou em coletiva de imprensa na sexta-feira, 31/3, o logo e vídeo promocional durante a Final da Copa do Mundo de Salto e Adestramento, em Ohama, EUA. Os Jogos que reunem simultaneamente todas as 8 modalidades equestres com chancela FEI – Salto, Adestramento, CCE, Adestramento Paraquestre, Enduro, Rédeas e Volteio – acontecem a cada cada anos e agitam o Tryon International Equestrian Center em Tryon, na Carolina do Norte, entre 11 e 23 de setembro de 2018.

Panorâmica Tryon International Equestrian Center

A coletiva teve a presença do comitê organizador FEI WEG Mark Bellissimo, CEO, e Michael Stone, presidente e diretor de esporte, a secretaria geral da FEI Sabrina Ibáñez e do presidente da Federação Equestre Norte-americana Murray Kessler.

Vídeo promocional World Equestrian Games Tryon 2018

 

Portal WEG Tryon 2018

Rainha Isabell Werth vence na largada da Copa do Mundo de Adestramento e elogia desempenho do brasileiro João Victor Oliva

Aos 47 anos, Isabelle Werth, a mais premiada amazona de adestramento de todos os tempos, confirmou o favoritismo e montando Weihegold e largou na frente na Final da Copa do Mundo de Adestramento, em Omaha, Nebraska, EUA. Já o 2º posto coube a norte-americana Laura Graves apresentando Verdades, 79,800%, seguida pela britânico Carl Hester com Nip Tuck, 76,671%.

Isabell e a égua Weihegold vitória com folga na abertura da competição; Cara Grimshaw/FEI

Único brasileiro na competição, João Victor Marcari Oliva, 21, com o lusitano Xamã dos Pinhais, garantiu um bom resultado, 68,214%, fechou em 13º lugar e colheu elogios da vencedora.”O João Victor é o melhor brasileiro que já vi competindo, além de ser um cavaleiro muito desenvolvido. Estou surpreendida com a evolução dele nestes dois anos e meio que está morando na Alemanha, e ele já conquistou a admiração e o respeito de cavaleiros de todo o mundo. Com cavalos superiores o João Victor é um dos candidatos a se tornar top mundial”, destacou Isabell, atual nº 1 do mundo, prata individual e ouro por equipes na Rio 2016, também dona de cinco ouros olímpicos e mundiais por equipes, e duas vezes campeã da Final da Copa Mundo.

Agora a elite da modalidade se prepara para o Freestyle, no sábado, 1/4, que decide a competição. “Estou muito feliz, mas antes tenho que acalmar a minha égua, porque ela ficou agitada na cerimônia de premiação.

“Eu e minha equipe estamos contentes com a apresentação de hoje entre os melhores do mundo na final da copa do mundo de adestramento”, garantiu João, atual campeão sul americana, bronze por equipes no Pan 2015 e melhor brasileiro na Rio 2016.

João Victor e seu Xamã nas lentes de Liz Gregg/FEI

Emocionado, o pai do atleta, o empresário e criador Victor Oliva era só elogios ao filho: “O João Victor foi o mais aplaudido entre os 16 competidores do Grand Prix nesta final da Taça do Mundo de Dressage. Foi emocionante ver o respeito que os tops mundiais do Adestramento e o público demonstraram pelo meu filho, pela idade dele (21) e a paixão como ele monta e compete”, disse emocionado o empresário Victor Oliva. “Nunca tivemos um brasileiro neste patamar. O Brasil precisa conhecer o Adestramento e saber que tem talentos como o João Victor representando o país em eventos deste nível”, enfatizou.
Resultado completo.

Fatos e feitos

  • 16 cavaleiros de 13 países (Argentina, Australia, Bielorrússia, Brasil, Dinamarca, Alemanha, Grã Bretanha, Irlanda, Holanda, Nova Zelândia, Russia, Suiça e EUA)
  • 194 cavaleiros e amazonas e 215 cavalos competiram nas seletivas para a Final em Omaha
  • Isabell Werth busca o tricampeonato
  • 16 conjuntos vão disputara a Final. O holandês Hans Peter Minderhoud, campeão em 2016, não vai competir porque seu cavalos Glock´s First mancou um dia antes do embarque. Jessica Von Bredow Werndl da Almemanha também não competiu porque seu cavalos Unee B teve cólica no embarque em Amsterdã.

Brasil Hipismo com a fonte FEI e Rute Araújo

Jovem talento João Victor Oliva, único brasileiro, estreia hoje na Final da Copa do Mundo de Adestramento

Acontece nessa quinta-feira, 30/3, a estreia do jovem talento João Victor Oliva na Final da Copa do Mundo de Adestramento – Longines FEI World Cup Jumpimg & FEI World Cup Dressage Finals em Ohama, EUA. Único brasileiro, João Victor, 21 anos, é um dos 18 atletas, entre os tops mundiais do Adestramento que estão reunidos no CenturyLink Center até domingo, 2/4. O cavaleiro entra no picadeiro com o Puro Sangue Lusitano Xamã dos Pinhais.

O cavaleiro paulista estreia no evento no Grand Prix às 14h00 (12h00 no Brasil), prova que habilita os melhores resultados para o Grand Prix Freestyle – prova com coreografia livre e música – que acontece no sábado (1/04). “Estou muito feliz com essa oportunidade de representar o Brasil no mais importante evento mundial do esporte que pratico. Vou dar o meu melhor”, garante o atleta. Veja a Ordem de Entrada – clique aqui.

João Victor: top do adestramento brasileiro e também campeão de simpatia nas redes sociais

Disputam a final do Adestramento os 18 melhores conjuntos do mundo, entre eles a alemã e seis vezes campeã olímpica e nº1 do mundo Isabell Werth e o holandês Hans Peter Minderhoud, atual campeão da competição. O cavaleiro paulista estreia no evento no Grand Prix na quinta-feira (30/03) às 14h (12h no Brasil), prova que habilita os melhores resultados para o Grand Prix Freestyle – prova com coreografia livre e música – que acontece no sábado (1º/04) também às 14h.

A Final da Copa do Mundo de Hipismo é realizada pela Federação Equestre Internacional (FEI) e a reúne os melhores atletas de cada liga, além de dois conjuntos que conquistam a vaga na categoria “partida extra”. Foi assim que o brasileiro conquistou o primeiro lugar com Xamã dos Pinhais depois dos excelentes resultados no CDI5* em Dortmund, na Alemanha, no início de março.

João Victor Marcari Oliva é atleta militar e olímpico, medalhista pan-americano, atual campeão Sul-americano e filho da ex-jogadora Hortência Marcari, ícone do basquete, e do empresário Victor Oliva.

Essa é segunda vez que o Brasil terá um representante na final do Adestramento. Na edição de 2010, a amazona Luiza Almeida, com Samba, participou da competição na Holanda e terminou em 15º lugar. Na época, com 18 anos, Luiza foi a primeira sul-americana a disputar a final da Copa do Mundo.

Com apoio da Confederação Brasileira de Hipismo, o investimento em clínicas com cavaleiros experientes, técnicos estrangeiros e viagens para concursos internacionais vem resultando em uma série de títulos importantes e a consolidação do Brasil como uma potência do Hipismo jovem. Incluindo a participação de cinco atletas nos Jogos Rio 2016.

Sobre João Victor Marcari Oliva

João Victor Marcari Oliva começou a montar aos três anos no rancho dos pais (hoje, Coudelaria Ilha Verde), em Araçoiaba da Serra, interior de SP. Aos 12 anos estreou nas pistas inspirado em Rogério Silva Clementino, então funcionário da coudelaria e primeiro negro a integrar uma equipe olímpica da modalidade.

Se Clementino foi inspiração para o Adestramento, a paixão pelos cavalos veio do pai, o empresário Victor Oliva. Por parte da mãe, a ex-atleta e ícone do basquete, Hortência Marcari, João Victor tomou gosto pela disciplina, dedicação aos treinos e comportamento esportivo.

Desde sua estreia, em 2008, o jovem talento que se tornou atleta militar (Sgtº Oliva) em 2015, conquistou a medalha de bronze por equipe no Pan-americano de Toronto 2015 e é atual o campeão Sul-Americano individual e por equipe (Odersur/Chile 2014). Além disso, foi o melhor atleta do time Brasil de Adestramento nas Olimpíadas do Rio 2016; melhor atleta da equipe brasileira nos Jogos Equestres Mundiais da Normandia, na França, em 2014, e pentacampeão brasileiro (Amador em 2008, Mirim em 2009, Junior em 2010 e 2011, Young Riders em 2012).

Desde julho de 2014 João Victor mora na Alemanha, país que é referência mundial no hipismo, e treina com Norbert van Laak, técnico de medalhistas olímpicos, mundiais e europeus. Aos finais de semana o jovem compete no circuito europeu com os tops mundiais da modalidade.

Para saber mais acompanhe os links abaixo

Relação de Inscritos

Omaha World Cup 2017

FEI World Cup Finals 2017
CBH com Rute Araujo e Multifato

João Victor Oliva e Cel. Salim Nigri são condecorados com medalha do Exército Brasileiro

O cavaleiro olímpico João Victor Marcari Oliva, do Adestramento, é um dos homenageados do Ministério da Defesa com a maior honraria concedida a atletas e personalidades ligadas aos esportes. A cerimônia aconteceu nessa sexta-feira (17/03) às 11h00 no Terceiro Comando Aéreo Regional (III COMAR), no Rio de Janeiro.

João Victor Oliva será homenageado com a medalha de Mérito Desportivo Militar (Foto: Rui Pedro Godinho)

A medalha de Mérito Desportivo Militar é uma condecoração criada para premiar militares brasileiros que se destacaram em competições desportivas nacionais e internacionais, assim como militares e civis brasileiros ou estrangeiros que prestam relevantes serviços ao desporto militar do Brasil. A medalha foi criada pelo Decreto nº 5.958 de 07/11/2006 e em 2016, entre os homenageados estava Hortência Marcari, mãe do cavaleiro, e ícone do basquete.

João Victor ao lado da mãe, Hortência Marcari, que também recebeu a medalha de Mérito Desportivo Militar em 2016; Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

Terceiro-sargento, João Victor (Sgtº Oliva), de 21 anos, faz parte do Programa de Atletas de Alto Rendimento do Exército desde 2015.

Salim Nigri acompanhado da esposa na cerimônia de condecoração; foto: reprodução Facebook

O Coronel Salim Nigri também recebeu a merecida condecoração após uma vida inteira dedicada à equitação. Atualmente juiz internacional de Adestramento, inclusive tendo julgado um pan americano, o Cel formou-se oficial da Cavalaria na Academia Militar das Agulhas Negras, em 1962. Em 1968, formou-se Instrutor de Equitação na Escola de Equitação do Exército, que chegou a comandar entre 1989 e 1994.

 

Brasil Hipismo com a fonte: Rute Araujo

 

João Victor Oliva está convocado para defender o Brasil na Final da Copa do Mundo de Adestramento 2017

Cavaleiro olímpico, medalhista pan-americano, e atual campeão Sul-americano e vencedor do Prêmio Brasil Olímpico, João Victor Marcari Oliva, 21, também atleta militar, e seu cavalo lusitano Xamã dos Pinhais se qualificaram para o a Final da Copa do Mundo de Adestramento – Longines FEI World Cup™ & FEI World Cup™ Dressage and Jumping Finals em Ohama (EUA), evento que também recebe a Final da modalidade Salto, entre 29/3 a 2/4.

“Estou muito feliz com essa oportunidade de representar o Brasil no mais importante evento mundial do esporte que pratico. Vou dar o meu melhor”, comemorou o atleta.
A convocação do cavaleiro foi comunicada à Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) nessa terça-feira (7/3) pela Federação Equestre Internacional (FEI).

João e Xamã dos Pinhais fazendo piaffe no Internacional de Neumünster na Alemanha, em fevereiro de 2017 ; img: Rui Godinho

A conquista da vaga se confirmada após o resultado do conjunto no Concurso de Adestramento Internacional (CDI5*) em Dortmund, na Alemanha, no último final de semana entre 4 e 5/3.

Essa será apenas a segunda vez na história do adestramento brasileiro que o Brasil terá um representante em uma Final de Copa do Mundo. A primeira vez foi com a amazona Luiza Almeida na Final da Copa do Mundo 2010, na Alemanha.

Acompanhe o portal oficial da LONGINES FEI World Cup™ & FEI World Cup™ Dressage and Jumping Finals

Com a fonte Rute Araujo

João Victor Oliva conquista seu segundo índice em busca de uma vaga nos Jogos Equestres Mundiais de 2018

De volta às pistas do circuito europeu de Adestramento nessa temporada, João Victor Marcari Oliva vem se consolidando como o melhor atleta brasileiro da modalidade. Depois dos Jogos do Rio 2016 – onde foi o melhor resultado da equipe – o cavaleiro paulista, que também é atleta militar, participou de uma etapa seletiva da Copa do Mundo de Adestramento e um CDI5*, ambos na Alemanha, obtendo importante avaliação de um júri formado por juízes cinco e quatro estrelas.

João Victor Marcari Oliva com Xamã dos Pinhais; Foto: Rui Pedro Godinho/Divulgação Coudelaria Ilha Verde

No CDI-W de Neumünster (18/02), válido como etapa seletiva da Copa do Mundo de Adestramento, alcançou 67.420% e no CDI5* em Dortmund, 68,720%, sempre com seu Xamã dos Pinhais. A competição reuniu tops mundiais da modalidade de nove países. O resultado foi válido como segundo índice do conjunto em busca de vaga no time Brasil para os Jogos Equestres Mundiais de 2018, nos Estados Unidos.

João Victor foi o único representante do Brasil nas competições. “Quero melhorar a cada novo desafio e para isso tenho me dedicado diariamente a um treinamento planejado com meu treinador Norbert van Laak. Tem muit o trabalho pela frente para alcançar meu objetivo: o de ser um atleta de excelência e referência da minha modalidade”, diz o jovem talento filho de Hortência Marcari, ícone do basquete, e do empresário Victor Oliva.

João Victor Marcari Oliva, que vive na Alemanha desde 2014, começou a competir no Adestramento com 12 anos e desde a estreia coleciona títulos. É pentacampeão brasileiro (Amador em 2008, Mirim em 2009, Junior em 2010 e 2011, Young Riders em 2012); atual Campeão Sul-americano (individual e por equipe); medalha de bronze por equipe no Pan de Toronto 2015 e melhor atleta da equipe brasileira nas Olimpíadas do Rio 2016 e nos Jogos Equestres Mundiais da Normandia, na França, em 2014.

Seu desempenho foi reconhecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) que conferiu ao atleta o Prêmio Brasil Olímpico em três edições (2016, 2015 e 2014), além de ter sido indicado em 2013 e 2012.

João Victor Oliva e Xamã dos Pinhais retornam à pista do CDI5* de Dortmund nesse sábado (4/3) às 21h00 (17h00 no Brasil) para o Grand Prix Freestyle, prova com coreografia livre e música.

Fonte: Rute Araújo