Espanha é ouro por equipes no Enduro e Sheik Hamdan é o campeão individual do Mundial 2014; dois brasileiros terminam entre os 20 primeiros

O dia 28/8, quinta-feira, foi longo e cheio de incidentes para os competidores de Enduro nos Jogos Equestres Mundiais Alltech FEI 2014, na França. Além do percurso extremanente difícil e técnico de 160km, chuva e sol se alternaram trazendo ainda mais dificuldades para os 166 conjuntos de 47 países que percorreram as trilhas da região de Sartilly, na Normandia, passando pela histórica baía do Mont Saint-Michel, Patrimônio Mundial da UNESCO.

Largada do Enduro antes do sol nascer no dia 28/8: 166 competidores de 47 nações

Largada do Enduro antes do sol nascer no dia 28/8: 166 competidores de 47 nações; imagem: Luis Ruas

O cavaleiro dos Emirados Árabes, Sheikh Hamdan bin Mohamed al Maktoum, venceu a competição com Yamamah, completando o percurso em 8h8m28s, com uma média de 19.68km/h. A jovem amazona holandesa Marijke Visser, no dorso de Laiza de Jalima, terminou logo atrás com tempo de 8h19m07s e média de 19.26km/h, levando a prata. O bronze foi para o concorrente do Qatar, Abdulrahman Saad A.S Al Sulaiteen, montando Koheilan Kincso, em 8h56m23s, velocidade média de 17.92km/h.

O público francês motivou os atletas; á direita, o Campeão Sheik Hamdan caminha seu animal à beira d'água; imagem: PSV Photos

O público francês motivou os atletas; á direita, o Campeão Sheik Hamdan caminha seu animal à beira d’água; imagem: PSV Photos

A égua medalha de prata, Laiza de Jalima, foi também a vencedora do troféu Best Condition. “Na verdade ela é um égua bem pequena, mas é uma verdadeira alegria montá-la. Ela é muito corajosa e capaz de grandes resultados”, declarou a amazona holandesa Marijke, após a cerimônia de premiação.

Medalha de prata e Beste Conditions, Laiza La Jaime e Marijke galopam com o Monte St.Michel ao fundo; imagem: Sindy thomas

Medalha de prata e Best Condition, Laiza de Jalima e Marijke galopam com o Mont St. Michel ao fundo; imagem: Sindy thomas

Equipes

Devidos às inúmeras dificuldades do percurso, que provocaram até um acidente fatal para um cavalo da Costa Rica que bateu com a cabeça em uma árvore, apenas três equipes com três integrantes cada conseguiram finalizar os cinco anéis. Entre elas, a detentora da medalha de ouro foi a Espanha com um tempo total de 28h56m02s. A França chegou em 2º lugar com a somatória de 29h08m44s. A Suíça levou a medalha de bronze com somando-se 29h42m54s de seus três integrantes.

Pódio das equipes vencedoras; imagem: PSV Photos

Pódio das equipes vencedoras; imagem: PSV Photos

Os brasileiros

Dos 166 que largaram apenas 38 passaram para o quinto e último anel, entre eles dois brasileiros: Rafael Salvador e André Vidiz. Rafael, montando SM La Turca, foi o brasileiro melhor classificado, ficando na 16º posição. Em uma boa performance, ele terminou os cinco anéis em 10h09m52s, velocidade média de 15.77km/h. André Vidiz foi o 18º colocado, finalizando os 160km no tempo de 10h10m17s, média de 15.75km/h, no dorso de Numismat Endurance.

Rafael Salvador, 16º colocado em uma prova cheia de dificuldades extremas; imagem: Luis Ruas

Rafael Salvador, 16º colocado em uma prova cheia de dificuldades extremas; imagem: Luis Ruas

“É incrível poder estar entre os melhores do mundo, eu sempre sonhei com isso desde que comecei no enduro. Foi uma das provas mais difíceis que eu já fiz até hoje. Muito técnica e de muita paciência”, comentou o mineiro Rafael Salvador, de 26 anos.

Equipe brasileira esfria os cavalos no vet-check; imagem: Luis Ruas

Equipe brasileira esfria os cavalos no vet-check; imagem: Luis Ruas

Os outros integrantes da equipe verde amarela foram Rodrigo Barreto, de apenas 18 anos, Ana Carla Maciel, única mulher da equipe, e Fabrício Bagarolli. Rodrigo com Lyad El Emir e Ana Carla montando ODM Bahrain, deixaram a competição após o terceiro anel, e Fabrício completou apenas a primeira etapa da competição com Prediction Pacifique.

 
Brasil Hipismo com informações e fotos: CBH e Alltech FEI World Equestrian Games 2014 website

Time Brasil Senior é prata no Pan-Americano de Enduro

O Uruguai sediou, em 28/9, o Pan-Americano de Enduro Equestre, homologado pela FEI, na cidade de Trinidad. O Brasil não apenas participou, como trouxe para casa a medalha de prata na categoria Senior.

A equipe medalha de prata

A equipe medalha de prata

Integraram o time de prata André Vidiz / SM Bomberito, Fernando Gonçalves Costa / Baladynno Rach, Léo Steinbruch / Halpern Endurance e Rafaela Moreira Barreto / Amyra El Emir.

No desfile das delegações

No desfile das delegações

 

Entre os brasileiros a melhor classificada na prova foi Rafaela, 4ª colocada. André foi o 6º e Léo terminou no 8º posto. Fernando não chegou a concluir a prova. Newton Lins Filho não participou porque seu animal Abdullah não passou na inspeção veterinária.
O experiente Léo Steinbruch já previa o resultado antes mesmo da largada, em entrevista para o site Enduro Online: “Nós temos que acreditar que tudo vai dar certo. Rafaela sabe competir, é super experiente e é nosso amuleto.” A equipe da casa ficou com o ouro e o Chile levou o bronze.

Leo Steinbruch comemora

Leo Steinbruch comemora

A equipe Young Rider também teve que lidar com uma baixa de última hora. A égua Lisboa Endurance, montada de Mariana Amaral Neves, ao que tudo indica foi mordida por uma cobra não venenosa e o conjunto teve que ser substituído por Gabriela Moreira de Abreu com LR Obama. Também integraram o Time Brasil Rodrigo Moreira Barreto com RT Dahhan, 7º lugar na prova, Rodrigo Beneplácido com Ho All Black, 12º. Pedro Liberal Lins com NNL Just For You e Gabriela com LR Obama não terminaram. O ouro mais uma vez ficou para o Uruguai e o Chile levou a medalha de prata.

A euipe Young Rider que teve Rodrigo Barreto em 7º lugar

A e1uipe Young Rider que teve Rodrigo Barreto em 7º lugar

Presente no campeonato como chefe de equipe, Ronaldo Bittencourt Filho, diretor de enduro e vice-presidente da CBH, teve participação efetiva nas conquistas. “A experiência foi muito boa porque montamos um grupo e ele estava muito focado. A equipe permaneceu concentrada e confiante. O Uruguai nos recebeu muito bem e o evento foi excelente”, ressaltou Ronaldo, em entrevista ao portal Enduro Online.

O grupo brasileiro estava coeso e confiante

O grupo brasileiro estava coeso e confiante

União faz a força

União faz a força

CBH com a fonte: Enduro Online; fotos: cedidas

Fernanda Abreu foi vice e André Vidiz, 4º, Try Out 2013 Pan American Endurance Uruguay

No último final de semana, em 4 e 5/5, os times Brasil de Enduro Equestre das categorias Young Rider e Adultos participaram do Try Out 2013 Pan American Endurance Uruguay em Trinidad Flores.

União faz a força: times Brasil de enduro no try Out Pan American Endurance Uruguay

União faz a força: times Brasil de enduro no try Out Pan American Endurance Uruguay

O destaque na categoria Young Riders, disputada no sábado, 4/5, rolou por Fernanda Carvalho Moreira de Abreu com LR ALI que honrou o Brasil com a 2ª colocação na prova de 121,4 km B.

A vice-campeã Fernanda Carvalho Moreira de Abreu com LR ALI em ação nas trilhas do Uruguai

A vice-campeã Fernanda Carvalho Moreira de Abreu com LR ALI em ação nas trilhas do Uruguai

A vitória ficou com a argentina Manuela Basombrio com Araka Peregino.Também fizeram bonito na categoria Young Riders Rodrigo Azari Beneplacito com Ho All Black que emplacou na 8ª colocação e Rodrigo Pereira Beauyt com JC Nay Beauty, Pedro Liberal Lins com HM Malebo, respectivamente, em 11º e 12º lugar.

Mais um clique do time de feras do enduro brasileiro no Uruguai

Mais um clique do time de feras do enduro brasileiro no Uruguai

Entre os adultos, 121,4 km o experiente e sempre competivio ginete brasileiro André Vidiz levou SM Bomberito ao 4º posto. Sagrou-se vencedor o uruguaio Juan Pablo Viana com Chinito del Timote. Também pelo Brasil, Fernando Gonçalves Costa com Volunteer Rach cruzou a linha de chegada em 11º lugar.

No domingo, 5/5, Fernando Gonçalves Costa com JM La Uno terminou mais uma prova, dessa feita, de 80 km, com JM La Uno, na 18ª colocação. Fernanda Villar montando Saluki foi a vencedora pela cores do Uruguai.

Ronaldo Bittencourt, vice-presidente da Confederação Brasileira de Hipismo e diretor de enduro da entidade, esteve presente e acompanhou toda a movimentação das equipes brasileiras. “Rodrigo Beneplácito demonstrou toda sua vontade em participar da equipe brasileira, pois em apenas um dia providenciou sua ida para o Uruguai para substituir o cavaleiro adulto Renato Salvador que teve um imprevisto e não pode viajar ao Uruguai”, contou Ronaldo. “Pedro Liberal Lins e Rodrigo Moreira Barreto conseguiram terminar a 10ª prova de 120Km e agora entraram no grupo de cavaleiros “elite”, que é uma vantagem competitiva pois podem montar qualquer cavalo qualificado diretamente nas competições (sem passar necessariamente pela qualificação conjunta do cavalo e cavaleiro),” acrescenta o dirigente e horseman.

“Newton Lins, Rafaela Barreto, Paula Rehder Toledo e Mariana Amaral Neves não terminaram a prova apesar do apoio de toda a equipe. Mas cumpriram o papel que era de reconhecer as trilhas e se ambientar com o ambiente aonde será realizado o Panamericano 2013 na cidade de Trinidad – Flores”, destaca Ronaldo, referindo ao evento maior das Américas que acontece entre 25 e 29 de setembro de próximo.

Todos os brasileiros competiram com cavalos gentilmente cedidos por centros de treinamento de enduro uruguaios. “Agradecemos muito toda a recepção, hospitalidade e o empréstimo dos cavalos”, finaliza Ronaldo.

brazao500

“Pensei que eu ia para o Uruguai para aprender mais sobre o enduro e me preparar para o Panamericano. Mas na verdade recebi um grande prêmio conheci pessoas maravilhosas com seus objetivos sempre margeados pelo cavalo.No Brasão uruguaio acima temos alguns significados: a balança( igualdade, justiça), a Colina de Montevidéu( força), o cavalo galopante( liberdade), o boi(abundância)”, por Ronaldo Bittencourt .

 

Fonte: CBH

Campeonato Brasileiro de Enduro Equestre movimenta Academia Militar das Agulhas Negras

A tradicional Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) em Resende, no Rio de Janeiro, recebe em 28/7 o Campeonato Brasileiro de Enduro que chega a sua 22ª edição. Em 2004 e 2005, a AMAN conhecida pela excelência de seus eventos também sediou evento.

A Academia Militar das Agulhas Negras no Rio de Janeiro, sede do 22º Brasileiro de Enduro Equestre; foto: site AMAN

A disputa que conta com a participação de cavaleiros e amazonas de experiência internacional ao lado de jovens talentos e amadores de pelo menos oito federações estaduais acontece em trilhas com distâncias que variam de 25km a 160km. O evento também é válido como etapa seletiva para o Pan-americano 2012 da modalidade em Pinamar, na Argentina, em 19 e 20/10.

O que é o Enduro Equestre?

Palavra de origem inglesa, o Enduro (Endurance) se traduz como competição longa em que a velocidade deve se adequar à resistência. Seus fundamentos são simples e a prática proporciona uma interação do homem com o cavalo e dos dois com a natureza. Atualmente, o Enduro é considerado o esporte equestre que mais cresce no mundo, marcando presença em 61 países e praticado por mais de 40 mil competidores.

As categorias

As competições de Enduro se dividem em duas modalidades: Velocidade Limitada e Velocidade Livre.

Velocidade Limitada é a categoria onde se começa a prática do esporte. Os percursos vão de 15 a 60 km e a velocidade é determinada pelos organizadores da prova. Quem termina a prova dentro do tempo pré-determinado ou o mais próximo dele é o vencedor. No entanto, é imprescindível que o animal apresente batimento cardíaco baixo e boas condições físicas para o conjunto não ser eliminado.

As provas são divididas por etapas, também chamadas de anéis, e podem variar de 15 a 25 km entre um e outro. No final de cada etapa o animal passa pelo “vet-check” e só é liberado se apresentar condições de permanecer na trilha, caso contrário o conjunto é eliminado da competição. Os “vet-checks” demarcam os “anéis” e podem liberar ou vetar a continuidade do animal na prova

Na Velocidade Limitada a mudança de categoria se caracteriza no aumento do percurso e velocidade. Nesta categoria a disputa é contra o relógio e as distâncias variam de 40 a 160 km. Condicionamentos físicos e emocionais são aliados que garantem cumprir a prova. Os “anéis” são distribuídos de 10 a 40 km e o animal só é liberado no “vet-check” se sua frequência cardíaca atingir o número de batimentos estipulados para cada categoria.

A prática do esporte por núcleos de famílias e grupos de amigos é muito comum como por exemplo a premiada família Lins – Newton, campeão brasileiro 160 km, Maria Victoria, campeã brasileira 120 km, e Pedro, campeão brasileiro young riders 120 km – filiados à Federação Equestre do Rio de Janeiro.
Outros campeões brasileiros 2011

Rafaela M Barreto com Ekstencja El Emir – Vice 160 km
André Vidiz com Mágico Endurance – Campeão 160 km
Gustavo Xavier Barreto com Lyad El Emir – Campeão 80 km adultos
Patrícia Bicudo Barbosa com Carajá CSM – Vice 80 km Adultos
Ana Carla Maciel com RL Quality Chayenne -Best Condition 160 km
Maria Vitória Liberal Lins com C Chanrion – Campeã 120 km
Léo Steinbruch com Halpern Endurance – Vice e Best Condition
Pedro Liberal Lins com Galiléia Rach – Campeão 120 km Young Riders
Fernando Velzi com HDL Pantheon – Vice 120 km Young Riders
Manuela Basombrio com Caete CSM – Best Condition 120 km Young  Riders
Patrícia Bicudo Barbosa com Carajá CSM – Vice 80 km Adultos
Mariana de Abreu Polidoro com FHJ Jphpeckt – Campeã 80 km Young Riders
Ercio Santos Martins com Hamed – El Hylan – Campeão 60 km Adultos
Gustavo Zandavalli com Zephir – El Jamaal – Campeão 60 km Young Riders
José Caio Vaz Guimarães com VG Fame – Campeão 60 km Mirim
Fernanda Moreira de Abreu com Tieta – Vice 60 km Mirim

 
Fonte: Elza Barroso Comunicação e Histórico  CBH – Carola May / Rute Araújo