Paulista Senior 2017 tem vitória de Artemus de Almeida, atual líder do Ranking Brasileiro Senior Top

Fechando a terceira e última semana do Campeonato Paulista de Salto, entre 6 e 9/7, foram 36 os conjuntos em pista concorrendo ao título Senior, a 1.40 metro, e 74, no Paulista Senior Especial, a 1.30 metro, no Clube Hípico de Santo Amaro, entre 6 e 9/7. os Campeonatos Pré-junior, Junior e de Amadores também foram decididos nesse período, e das demais categorias nas duas semanas anteriores. Entre os Seniores, a liderança do início ao fim foi do top Artemus de Almeida, vencedor da primeira parcial, e com pista limpa em nas duas demais provas, representando a Sociedade Hípica de Ribeirão Preto.

Artemus e Una Bella: 100% de aproveitamento

O atual líder o Campeonato Brasileiro Senior Top e medalhista pan-americano montou Premix Una Bell 9 HV, uma holsteiner de 12 anos, que foi campeã sul americana junior 2016 com Victoria Mendonça, treinada por Artemus.

Mais um clique da dupla campeã

Todos os quatro primeiros colocados fecharam o campeonato sem cometer faltas nos obstáculos fechando apenas com os pontos da primeira prova, a caça. O jovem talento Pedro Henrique Arantes Tavora de Matos, sócio santamarense, apresentando Germanico T, garantiu o vice-campeonato com 2,67 pontos perdidos (pp).

Pedro e Germanico T

Já 3ª colocação ficou com o sempre competitivo medalhista pan-americano Cesar Almeida montando Cassino Royale, 2,97, também por Santo Amaro.Em 4º lugar chegou o cavaleiro da Hípica Paulista Alberto Muylaert, o Mula, com C´Est Dorijke, 3,99 pp. Com uma falta no último percurso, o medalhista olímpico Doda Miranda e sua nova montaria Flying High das Umburanas fecharam em 4º lugar, 5,27 pp. Completou o placar na 6ª colocação Bruno Chaves Pessanha montando Transwaal Honnete de Muze, 8,76 pp.

Doda com seu Flying High das Umburanas, um Brasileiro de Hipismo de 9 anos

Na categoria Senior Especial, Fabio Sarti com Mel JC, uma BH de 9 anos de propriedade de Arnaldo Diniz, subiu ao topo do pódio, pela Hípica Paulista, com apenas 1,18 pp, trazidos da prova de caça e sem faltas nas duas demais provas.Sagrou-se vice campeão Luiz Guilherme Afonso Ciampi apresentando Don Camillo van Paemel, também sem cometer faltas, 1.26 pp, pelo Haras Império Egípcio.

O campeão Fabio com Mel JC

Entre 2 e 6/8, na Sociedade Hípica Paranaense, acontece a Campeonato Brasileiro Senior 2017 em suas três categorias: Senior Top, Senior e Senior Especial.

Final Senior

Campeão Artemus de Almeida / Premix Una Bella 9 HV – SHRP – 0 pp
Vice Pedro Henrique Arantes Tavora de Matos / Germanico T – CHSA – 2,67 pp
3º Cesar Almeida / Cassino Royale – CHSA – 2,97 ppp
4º Alberto Assumpção Muylaert / C´Est Dorijke – SHP – 3,99 pp
5º Doda Miranda / Flying High das Umburanas – SHP – 5,27 pp
6º Bruno Chaves Pessanha / Transwaal Honnete de Muze – SHRP – 8,76 pp

Final Senior Especial

Campeão Fabio Sarti / Mel JC – SHP – 1,18 pp
Vice Luiz Guilherme Affonso Ciampi / Don Camillo van Paemel – HIMP – 1,26 pp
3º Luiz Gustavo Godinho / Cassinus Ipiranga – CHTSJ – 1,41 pp
4º Tiago Camargo / Rahmannhof´s Canterburry – SHC – 4,25 pp
5º Raphael Machado Leite / Caroline MN – SHRP – 4,63 pp
6º Francisco José Mesquita Musa / Enjoy da Cabana – HEZ – 4,7 pp

Resultado completo

Em grande fase Artemus de Almeida com Cassilano JMen papa prova 1.45 metro, o esquenta para o GP da Copa São Paulo

Até domingo, 4/6, a Sociedade Hípica Paulista recebe a elite do hipismo brasileiro. No GP que encerra a 46ª São Paulo, José Roberto Reynoso Fernandez Filho, que busca o tri, Felipe Amaral, Doda Miranda, entre outros, estão entre os favoritos. A entrada é franca.

Nessa sexta-feira, 2/6, Artemus de Almeida, líder do ranking brasileiro senior top 2017, levou Cassiliano JMen, à vitória, a 1.45 metro, principal dispuuta do dia, na 46ª Copa São Paulo, na Sociedade Hípica Paulista. A armação de pista esteve a cargo do course-designer internacional Helio Pessoa e dos 41 conjuntos, 18 foram ao desempate. Artemus e e Cassilano JMen, um cavalo Brasileiro de Hipismo de 10 anos, não deu chances aos adversários e venceu sem faltas em 33s82.

Artemus e Cassilano JMen em alta velocidade rumo a vitória; img: Gabriela Lutz

Montando Dimensional Landritter do Feroleto, que zerou em 35s23. A 3ª posição ficou com o tetracampeão brasileiro senior top Francisco Musa em sua estreia montando Sharapova MCJ, pista limpa, 36s41. Coincidentemente todas os três primeiros cavalos são de criação nacional e passaram pelas mãos do vencedor Artemus.

Fernando e seu Dimensional Landritter do Feroleto; img: Luis Ruas

Para o GP, a 1.50 metro de domingo, 4/6, válido pela 3ª de nove etapas do ranking brasileiro senio top, Artemus está otimista. “O Cassilano vem muito constante sempre com boas chances de estar entre os primeiros. Monto ele desde os 5 anos e nossa meta é disputar uma vaga na equipe brasileira nos Jogos Equestres Mundiais 2018 e nos Jogos Panamericanos 2019”, pondera Artemus, vice-campeão brasileiro senior top em 2014 e 3º em 2016.

Outro favorito é José Roberto Reynoso Fernandez Filho que vem de tricampeonato consecutivo no GP da Copa São Paulo. Hoje, Zé Roberto bateu na trave com Maestro St Lois, fechando com uma falta, em 33s76, melhor tempo do desempate. “Quero fazer o melhor para brigar pela liderança do ranking brasileiro e, se minha estrela brilhar, conquistar o tetra no GP”, afirma Zé Roberto, 37. Seu pai José Roberto Reynoso Fernandez, o Alfinete (in memoriam), é o maior vencedor na história da competição com o hexacampeonato no GP.

Zé Roberto e seu Maestro St Lois no desempate: uma falta no último obstáculo; img: Gabriela Lutz

Também estão entre os destaques, o medalhista olímpico Doda Miranda com sua nova montaria Flying High das Umburanas e o cavaleiro reserva na Rio 2016 Felipe Amaral com Carthoes BZ. Ambos fizeram pista limpa prova a 1.45 dessa sexta.

Doda e seu Flying High das Umburanas ; img: Luis Ruas

No sábado, 3/5, o Clássico, a 1.40 metro, com início às 13h30 e R$ 50 mil em jogo, é a principal disputa. No domingo, 4/5, o GP Troféu Roberto Luiz Joppert, a 1.50 metro, a partir das 14h30 com R$ 85 mil em premiação, encerra a mais antiga competição de hipismo do país.

Prova – 1.45 metro

1º Artemus de Almeida / Cassilano JMen – FPH – 0/33s82
2º Fernando Schilis / Dimensional Landritter do Feroleto – FPH – 0/35s23
3º Francisco Musa / Sharapova – FPH – 0/36s41
4º Stephanie Macieira / Randon Pleasure – FEERJ – 0/36s89
5º Thiago Mattos / Hermès do Santo Antonio – FEERJ – 0/40s30
6º Felipe Lopes Morgan / Top Team Chantilly – FHMG – 0/41s66

 

Ordens de Entrada e Resultados e Transmissão ao Vivo

 

Via CBH com a fonte: SHP; fotos: Gabriela Lutz e Luis Ruas

Doda Miranda retorna às pistas no The Best Jump com o BH Flying High das Umburanas

O 49º Concurso de Salto Internacional e Nacional The Best Jump, que agita a Sociedade Hípica Portoalegrense entre 4 e 7/5, marca o retrono do cavaleiro olímpico Doda Miranda às pistas. Para tanto, o cavaleiro conta com o cavalo Flying High das Umburanas, um Brasileiro de Hipismo filho de Cardento em Flying Star de 9 anos, adquirido por um grupo de investidores.

Doda feliz com sua nova montaria Flying High das Umburanas

“Fiquei bem satisfeito com o Flying em nosso último treino para o The Best Jump. Estou praticamente desde os Jogos Olímpicos sem competir e muito motivado para retornar aos principais GPs no Brasil”, destacou Doda, dono de dois bronzes por equipes em Jogos Olímpicos e melhor brasileiro na Rio 2016 na 9ª colocação, após seu último treino na Sociedade Hípica Paulista, antes do embarque para Porto Alegre.

Doda e o amigo Marcos Ribeiro Junior, parceiros em projetos de treinamento

Nascido no Haras das Umburanas na Bahia, de propriedade da amazona Thereza Tourinho e família, Flying High estava nas mãos do cavaleiro Charlie Bays, desde os cinco anos de idade.

Mais um flash do conjunto Doda e Flying High das Umburanas

“Produto de Cardento em Flying Star, descende da mesma linha materna de Flying Saucer das Umburanas, animal BH com grande destaque na Holanda”, comenta Marcos Ribeiro Junior, que está frente a diversos projetos de treinamento ao lado de Doda Miranda.

 

Fonte: BH com fotos Luis Ruas

Prêmio Brasil Olímpico 2016 | Conheça os indicados nas modalidades hípicas

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) iniciou oficialmente, na quarta-feira, 8/2, o processo que vai definir os melhores atletas de 2016 em 43 modalidades e também os dois melhores atletas do ano, masculino e feminino. A disputa acontece entre três atletas de cada modalidade, indicados por suas respectivas Confederações Brasileiras Olímpicas. Os vencedores serão homenageados durante a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, no dia 29 de março, no Rio de Janeiro. A escolha dos melhores atletas em cada modalidade, assim como os dois atletas que receberão o Troféu Melhor Atleta do Ano, está sendo realizada por um júri formado por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte.

Pedro Veniss, João Victor Oliva e Ruy Fonseca, vencedores do Prêmio em 2015 no Salto, Adestramento e CCE; img: COB

Oscar do esporte brasileiro, o Prêmio Brasil Olímpico chega à sua 18ª edição prestando homenagens ainda em outras categorias: Atleta da Torcida, Melhor Técnico Individual e Coletivo: Troféu Adhemar Ferreira da Silva; Melhores Atletas nos Jogos Escolares da Juventude, entre outras premiações. Os medalhistas nos Jogos Olímpicos Rio 2016 também receberão homenagem especial. O Atleta da Torcida será escolhido pelo público, em março, em votação pela Internet.

No Hipismo, a exemplo das demais modalidades, a Confederação Brasileira de Hipismo indicou três atletas nas Adestramento, Concurso Completo e Salto, dos quais oito foram integrantes dos Times Brasil na Rio 2016. No Salto, concorrem ao Prêmio Doda Miranda, vencedor em 2014, 2013, 2012 e 2013, Pedro Veniss, vencedor em 2015, e José Roberto Reynoso Fernandez Filho, bicampeão senior top 2015/2016, recebeu a primeira indicação.

Os nomeados na modalidade Salto

No Adestramento, Giovana Prado Pass, caçula do time Brasil na Rio 2016, foi indicada pela primeira vez, ao lado de João Victor Oliva, vencedor em 2015 e 2014 e Luiza Almeida, que já faturou o prêmio cinco vezes em 2009, 2010, 2011, 2012 e 2013.

Os indicados no Adestramento

Já na modalidade Concurso Completo de Equitação (CCE), os indicados são Carlos Parro e Marcio Appel, ambos indicados pela primeira vez, e Marcio Jorge, vencedor em 2014.

Os nomeados no CCE

Clique aqui para conferir a relação completa dos indicados em todas modalidades em 2016

Clique aqui para ver os vencedores do hipismo nas 17 edições do Prêmio.

 

CBH com a fonte: COB ; fotos: COB, FEI, Luis Ruas e CM

Clínica com o medalhista olímpico Doda Miranda, de 28 a 30/11, no CHSA

Doda Miranda, em temporada no Brasil, ministra uma clínica de salto no picadeiro coberto do Clube Hípico de Santo Amaro, entre 28 e 30/11.

Doda Miranda e Cornetto K; img: Wander Roberto/Exemplus/COB

Doda Miranda e Cornetto K nos Jogos Rio 2016; img: Wander Roberto/Exemplus/COB

Com um limite de 25 participantes, a clinica conta com o apoio técnico de Marcos Ribeiro Junior e uma inscrição de R$ 2 mil.

Essa é sem dúvida uma oportunidade única de aprender um pouco dos segredos do cavaleiro medalhista olímpico e pan americano e um ídolo no Brasil.

Para maiores informações e inscrições, entre em contato através do telefone (11) 5694-0602 ou pelo email salto@chsa.com.br

Ficha de inscrição – clique aqui

Vai ser dada a largada para o Longines Indoor 2016 na Hípica Paulista

Os principais cavaleiros e amazonas do Brasil estão em São Paulo para disputar a principal competição do hipismo nacional na temporada. Entre quarta-feira e domingo (5 a 9) a Sociedade Hípica Paulista realizará o Concurso de Salto Internacional e Nacional 2* Longines Indoor. São 22 provas, das quais oito internacionais, incluindo provas show de potência com tentativa de quebra de recorde de salto em altura, na noite do sábado, e a carro x cavalo, no domingo. Nesta quarta-feira, estão programadas quatro provas a partir de 10h30 da manhã.

Coletiva de imprensa na Hípica Paulista nesta terça, 4/10; img: Luis Ruas/SHP

Coletiva de imprensa na Hípica Paulista nesta terça, 4/10; img: BH

O Longines Indoor 2016 foi apresentado à imprensa na manhã desta terça-feira (4). A coletiva contou com diretores da Sociedade Hípica Paulista, como o presidente do Conselho, Ronaldo Milan, e Constantino Scampini, diretor de Salto da SHP e responsável pelo trabalho de base na Confederação Brasileira de Hipismo e alguns dos favoritos da competição como Doda Miranda, José Roberto Reynoso Fernandez Filho, Felipe Amaral e Giulia Scampini.

“Meu objetivo é manter a liderança do ranking nacional e, como tenho dois bons cavalos, vou ceder um deles, o Maestro, se o Doda (Álvaro Affonso de Miranda Neto) precisar. Quero aproveitar para convidar o público para vir a Hípica Paulista. Será uma linda festa até domingo”, ressaltou José Roberto Reynoso Fernandez Filho, campeão brasileiro Senior Top 2015 e que nos cinco dos oito GPs do Brasileiro 2016 somou três vitórias, um 2º e um 3º lugar.

José Roberto Reynoso fala à imprensa; img: Luis Ruas/SHP

José Roberto Reynoso fala à imprensa; img: BH

Doda, que mora na Europa, chegou ao Brasil para participar do Indoor e está definindo o cavalo que vai montar no evento. “Vou fazer um treino com o Diamant Z, cavalo do Geraldo Mendonça, para tentar me adaptar. Se der certo, vou saltar com ele e assim abro mão da oferta do Zé Roberto, que gentilmente me ofereceu o Maestro. Ele é um grande amigo, está em ótima fase e tem duas ótimas montarias”, contou Doda. “Fico muito orgulhoso de participar do Indoor, pela organização impecável, e feliz por rever os amigos e a família. A partir do ano que vem tenho um projeto para desenvolver, no Brasil, um centro de formação da raça Brasileiro de Hipismo, pois quero competir em Tóquio 2020 com um BH. Por isso, quero vir mais ao Brasil para clínicas e competições”, acrescentou.

Doda Miranda dá depoimento à Band; img: BH

Doda Miranda dá depoimento à Band; img: BH

A nova geração do hipismo brasileiro marcou presença com Giulia Scampini e Felipe Amaral. Giulia, de 19 anos, é a mais jovem amazona a disputar as provas do Brasileiro Senior Top. “Este concurso é muito especial porque posso aprender com os mais experientes. Quero aproveitar esta oportunidade, mas já comecei a sentir um frio na barriga”, admitiu a amazona bicampeã americana junior em 2013 e 2014 e considerada uma das mais promissoras do esporte.

Giulia com a palavra na coletiva de imprensa; img: Luis Ruas/SHP

Giulia com a palavra na coletiva de imprensa; img: Luis Ruas/SHP

Felipe, integrante do Time Brasil no Pan 2015 e reserva nos Jogos Rio 2016, acabou de voltar de uma temporada de dois anos na Bélgica. “Fiquei na Europa para me aprimorar visando a Olimpíada e estou feliz em retornar ao país justamente na principal competição do calendário”, disse o cavaleiro de 25 anos, vice-campeão por equipes na Copa das Nações em Calgary, no Canadá, no final de agosto, logo após os Jogos Olímpicos.

Competições de alto nível

Até domingo, o Longines Indoor terá competições de alto nível técnico, sendo 12 provas nacionais – entre 1.10m e 1.40m – e 8 internacionais – entre 1.35m e 1.60m, com destaque para o GP Longines, na tarde de domingo, válido pela sexta de oito etapas do Campeonato Brasileiro Hyundai Senior Top. No intervalo a sempre esperada prova show carro x cavalo promete levantar o público. José Roberto Reynoso Fernandez Filho é líder isolado da competição com 95 pontos. César Almeida está na vice liderança e o jovem talento Alberto Sinimbu em terceiro, com 57 e 50 pontos, respectivamente. A disputa ainda vale como etapa seletiva da Liga Sul Americana para a Final da Copa do Mundo 2016/2017 em Omaha, Nebraska (EUA) no início de abril do ano que vem.

Felipe Amaral, feliz de estar de volta para o Indoor; img: Luis Ruas/SHP

Felipe Amaral, feliz de estar de volta para o Indoor; img: Luis Ruas/SHP

Outra competição muito esperada é a prova de potência, programada para a noite do sábado. A disputa começa a 1.60 metro com R$ 100 mil em jogo. Os primeiros R$ 50 mil são para aqueles que ultrapassarem a altura de 2.00 metros. Quem encarar o desafio de bater o recorde do Indoor (2,25 metros), disputará os outros R$ 50 mil com o muro elevado para 2,28 metros.

As 22 provas do concurso serão mostradas ao vivo pelo site da SHP. Para acompanhar basta clicar aqui.

Horse Experience, área para crianças e música ao vivo

Outras atrações prometem encantar o público nos intervalos das provas: apresentações de volteio, adestramento, rédeas e atrelagem. Outra opção são as 40 lojas na área do Boulevard, com gastronomia e produtos variados. Também não vai faltar a área kids com direito a passeio em pôneis. Ao final de cada dia, estão programados shows com DJs e bandas. A programação é a seguinte: quarta-feira- DJ Miss Má, Léo Mancini e banda; quinta-feira – Banda Blis e Wagner Luther; sexta-feira – DJ Mau Gessulli, Bejota e banda; sábado – DJ Mau Gessuli e domingo – DJ Miss Má e Afonso.

Venda de Ingressos
Visando dar mais conforto ao público, haverá cobrança de ingressos. Na quarta e quinta-feira, (5 e 6/10), o valor é de R$ 10; sexta (7/10), R$ 20; e sábado e domingo (8 e 9/10), R$ 30. Parte da renda será revertida para Associação dos Amigos dos Excepcionais do Brooklin e também para o atendimento de carentes na Equoterapia na Escola de Equitação da Hípica Paulista. Os ingressos também dão direito a uma aula experimental na Escola, mediante agendamento.

Os ingressos podem ser adquiridos clicando aqui ou na bilheteria da SHP a partir de quarta-feira (5).

O Longines Indoor 2016 tem organização da Sociedade Hípica Paulista com supervisão da Confederação Brasileira de Hipismo e chancela da Federação Equestre Internacional.

Serviço
Sociedade Hípica Paulista – rua Quintana, 206 – Brooklin
Quarta-feira (5) – a partir de 10h30 horas
Quinta-feira (6) – a partir de 9h30min
Sexta-feira (7) a domingo (9) – a partir de 9 horas
Ingressos : quarta e quinta : R$ 10,00
sexta: R$ 20,00
sábado e domingo: R$ 30,00

Mais informações:
www.shp.org.br
www.facebook.com/SociedadeHipicaPaulista

Fonte: ZDL Comunicação; fotos: Luis Ruas/SHP e Brasil Hipismo

Longines Indoor 2016 | Vem aí o maior show do hipismo brasileiro

A cada ano, o Concurso de Salto Internacional e Nacional Longines Indoor que chega a sua 26ª edição é o evento hípico mais esperado do país e América do Sul. Entre 5 e 9/10, a Sociedade Hípica Paulista recebe a caravana da elite do hipismo para a competição que tem 24 provas, das quais sete internacionais, incluindo ainda as provas show de potência com tentativa de quebra de recorde de salto em altura e carro x cavalo.

Doda Miranda é presença habitual no Longines Indoor; img: Luis Ruas

Doda Miranda é presença habitual no Longines Indoor; img: Luis Ruas

Encerrando a competição no domingo, 9/10, a principal disputa é o GP Longines, a 1.60 metro, válido pela 6ª de oito Etapas do Campeonato Brasileiro Hyundai Senior Top com a 1ª volta às 14h30 e a 2ª, às 18 horas. No intervalo a sempre esperada prova show carro x cavalo promete levantar o público. José Roberto Reynoso Fernandez Filho é líder isolado da competição com 95 pontos. César Almeida vem na vice liderança e o jovem talento Alberto Sinimbu em 3º, respectivamente, com 57 e 50 pontos. A disputa ainda vale como etapa seletiva da Liga Sul Americana para a Final da Copa do Mundo 2016/2017 em Omaha, Nebraska (EUA) no início de abril do ano que vem.

Entre os atletas vindos do exterior, destaque para a habitual presença do medalhista olímpico e pan-americano Doda Miranda e do cavaleiro olímpico e pan-americano Felipe Amaral, que retorna ao país após uma temporada na Europa. Entre os tops da casa estão Pedro Muylaert, Fabio Sarti, José Luiz Guimarães de Carvalho, Bartholomeu Bueno de Miranda Neto e Giulia Scampini ao lado de outras feras como Marcello Ciavaglia, campeão do GP Longines no Indoor 2015, Vitor Alves Teixeira, Francisco Musa, Sergio Marins e Fabio Leivas. Já a armação de pista cabe a Hélio Pessoa, renomado course-designer internacional, irmão do grande Nelson Pessoa, maior nome do hipismo brasileiro.

José Roberto vem com tudo na corrida pelo bicampeonato Brasileiro Senior Top, img: Luis Ruas

José Roberto vem com tudo na corrida pelo bicampeonato Brasileiro Senior Top, img: Luis Ruas

“Eu gostaria de convidar todo mundo que não conhece o nosso esporte a frequentar os eventos hípicos. É sempre bom competir com o público torcendo. O Indoor Hípica Paulista será uma linda festa com a presença dos melhores do país e integrantes do Time Brasil nos Jogos Rio 2016”, enfatiza José Roberto Reynoso Fernandez Filho, campeão brasileiro Senior Top 2015 e que nos cinco dos oito GPs do Brasileiro 2016 computa três vitórias, um 2º e um 3º lugar.

Potência garante a adrenalina

São muitos os pontos altos do evento. E, sem dúvida, a exemplo de 2015, a prova de potência mais uma vez promete bater recorde de público. A disputa na noite do sábado, 8/9, após o sempre concorrido mini GP, vai começar a 1.60 metro com R$ 100 mil em jogo. Os primeiros R$ 50 mil para aqueles que chegarem na altura de 2 metros, e para aqueles que encararem o desafio de bater o recorde do Indoor – 2,25 metros – o muro será elevado para 2,28 metros, valendo outros R$ 50 mil.

Felipinho e Quolibri passaram a 2,08 metros na edição 2015 do Longines Indoor; img: Luis Ruas

Felipinho e Quolibri passaram a 2,08 metros na edição 2015 do Longines Indoor; img: Luis Ruas

Em 2015, após um hiato de 13 anos, perante milhares de pessoas que não arredaram o pé da Sociedade Hípica Paulista, quatro conjuntos largaram na potência. Mas somente dois chegaram a saltar com sucesso o emocionante desafio: o recordista brasileiro de salto em altura e cavaleiro olímpico Luiz Felipe de Azevedo, o Felipinho, com seu Quolibri, e o top da casa Fabio Sarti com Exclusiv C. O melhor salto foi de Felipinho e Quolibri que ultrapassaram 2,08 metros a limpo. Altura essa em que Fabio e Exclusiv C acabaram cometendo uma falta.

O recorde remonta a 2001, quando Renato Junqueira e Pirandelo, que haviam batido no muro a 2.15 metros, tiveram sucesso passando os 2.25 metros. Vitor Teixeira também passou 2.25 metros, mas sua égua Resaola acabou caindo na recepção. Marca esta que estabeleceu o recorde brasileiro de potência em um Indoor (recinto fechado) e que permanece até hoje.

O Longines Indoor reúne a elite do hipismo no maior vão livre das Américas

O Longines Indoor reúne a elite do hipismo no maior vão livre das Américas

Horse Experience e happy hours

A exemplo dos últimos grandes eventos da casa, mais uma vez, apresentações de volteio, adestramento, rédeas e atrelagem prometem encantar o público nos intervalos das provas. Ao final de cada dia, happy hours com direito a música ao vivo e do DJ Maurício Africa da Casa 92 são uma boa opção na área do concorrido Boulevard com os mais diversos expositores e opções gastronômicas. Também não vai faltar a área kids com direito a passeio em pôneis.

Venda de ingressos

Visando valorizar o espetáculo e dar mais conforto ao público, pela primeira vez, haverá venda de ingressos. Na quarta e quinta-feira, 5 e 6/10, o valor é de R$ 10, sexta, 7, R$ 20, e sábado e domingo, em 8 e 9/10, apenas R$ 30. Parte da renda será revertida para Associação de Amigos dos Excepcionais do Brooklin e também para atendimento de carentes na Equoterapia na Escola de Equitação da Hípica Paulista. Os ingressos também dão direito a uma aula experimental na Escola mediante agendamento.

Compra de ingressos

 

Fonte: Imprensa SHP; fotos: Luis Ruas

Hípica Paulista realiza a 10ª etapa do Ranking de Salto entre 25 e 28/8, com seletiva para o CSI-W e CSN Indoor

Entre 25 e 28/8, o 10ª Ranking de Salto agita a Sociedade Hípica Paulista. A disputa também é válida como seletiva para o Longines CSI-W e CSN Indoor que chega a sua 26ª edição na Sociedade Hípica Paulista, entre 5 e 9/10.

José Roberto Reynoso Filho foi o vencedor do GP da 9ª etapa do Ranking; img: João Markun

José Roberto Reynoso Filho foi o vencedor do GP da 9ª etapa do Ranking; img: João Markun

No ranking de Salto da Hípica Paulista, como de costume a cada etapa, serão disputadas 18 provas para todos os níveis e categorias com destaque para o GP, a 1.40 metro, no domingo, 18, com R$ 30 mil em premiação. As provas seletivas para o Indoor vão de 1.10 a 1.40 metro, exceto para série Internacional 1.45 /1.60 metro. A 3ª e última seletiva para o Indoor será na 11ª Etapa do Ranking, entre 15 e 18/9.

As inscrições para o Ranking de Salto fecham na terça-feira, 23/8.

Veja o programa e o Regulamento das Seletivas Indoor

 
Contagem regressiva para o Indoor 2016

A edição 2016 desse que é o mais badalado evento hípico da América do Sul promete ser ainda mais especial com o primeiro grande encontro da elite do hipismo brasileiro e cavaleiros especialmente vindos do exterior após os Jogos Rio 2016. Doda Miranda e Pedro Veniss, que garantiram os melhores resultados do Time Brasil, ao lado de outras grandes estrelas em atividade no país e Exterior, mais uma vez prometem marcar presença no Indoor.

Doda Miranda e Cornetto K na Final da Rio 2016; img: Hector Garrido

Doda Miranda e Cornetto K na Final da Rio 2016; img: Hector Garrido

Em 2015, o Indoor reuniu mais de 73 mil visitantes ao longo dos cinco dias de competição. Com um número mais reduzido de conjuntos por prova, a plataforma de entretenimento Horse Experience promete ganhar ainda mais força. Além da sempre esperada prova show carro x cavalo, apresentações equestres de volteio, atrelagem, adestramento e rédeas terão destaque durante a programação. A prova de potência, mega sucesso em 2015, também será reeditada. Em paralelo, tampouco vão faltar a possibilidade de passeio de pôneis e o espaço kids para entreter jovens visitantes aspirantes ao hipismo. Outras novidades e detalhes sobre as regras das seletivas estão por vir.

Imprensa SHP

Nick Skelton conquista o 1º ouro britânico individual no Salto e Doda termina na 9ª colocação na Rio 2016

Ele fraturou o pescoço em uma queda há 16 anos, tem 58 anos, uma prótese no quadril e competiu em sua sétima Olimpíada com um cavalo que passou dois anos se recuperando de uma lesão. Mesmo assim, Nick Skelton fez história nos Jogos Rio 2016 nesta sexta-feira, 19/8, ao se tornar o primeiro cavaleiro britânico a conquistar um ouro individual no Salto nos Jogos Olímpicos. E mais uma vez o hipismo mostra que é um dos esportes mais democráticos, sem limite de idade e o único em que homens e mulheres competem juntos.

Um emocionado Nick Skelton chega à lágrimas ao atingir o ápice de sua carreira aos 58 anos; img: rio2016.com / divulgação

Um emocionado Nick Skelton chega à lágrimas ao atingir o ápice de sua carreira aos 58 anos; img: rio2016.com / divulgação

Dos 35 conjuntos que se classificaram para esta final, 13 prosseguiram sem faltas para a segunda rodada com os 27 melhores. Seis concorrentes ainda conseguiram zerar novamente o exigente percurso final armado pelo brasileiro Guilherme Jorge e um desempate foi necessário para decidir os medalhistas.

Escadinha de campeões com Peder Fredricson, Nick Skelton e Eric Lamaze no pódio; img: rio2016.com/divulgação

Escadinha de campeões com Peder Fredricson, Nick Skelton e Eric Lamaze no pódio; img: rio2016.com/divulgação

Primeiro a entrar em pista Nick Skelton e Big Star – um Sela Holandesa filho de Quick Star de 13 anos, seu companheiro na conquista do ouro por equipes em Londres 2012 – andaram rápido e não cometeram faltas. “Andei o mais que pude sem correr muitos riscos ele já é um cavalo rápido. Quis colocar pressão nos outros concorrentes e dei sorte”, explicou o britânico que terminou com a marca de 42s82. “O pior foi esperar o desempate terminar. Fiquei andando e de vez em quando dava uma olhada, mas tive que assistir a pista do Lamaze e ele me fez suar frio por um instante.”

Skelton e Big Star, que já tinham o ouro por equipe em Londres 2012, agora conquistam o inédito ouro individual para a Grã-Bretnha; img: rio2016.com/divulgação

Skelton e Big Star, que já tinham o ouro por equipe em Londres 2012, agora conquistam o inédito ouro individual para a Grã-Bretnha; img: rio2016.com/divulgação

O sueco Peder Fredricson e o brilhante All In foram os penúltimos em pista e conseguiram o segundo percurso limpo do desempate, ficando com a prata no tempo de 43s35. “Comprei esse cavalo há três anos, quando ele tinha sete. Sabia que tinha um ótimo cavalo quando vim para os Jogos. Talvez não estivesse esperando por uma medalha, mas com certeza gostaria de voltar com uma!”, declarou o sueco de 44 anos. “Tentei ser mais rápido que Skelton, mas não consegui.”

All In e Fredricson voando no Rio; img: rio2016.com/divulgação

All In e Fredricson voando no Rio; img: rio2016.com/divulgação

Eric Lamaze tinha a vantagem de entrar por último, mas um leve toque de Fine Lady quando fizeram uma curva apertada ocasionou um derrube que deixou o conjunto canadense com o bronze no melhor tempo da prova, 42s09. “Tudo tem que dar certo e vários ótimos conjuntos tiveram problemas esta semana, você precisa dar sorte e seu cavalo precisa estar bem”, comentou Lamaze. “A Olimpíada é o maior desafio da carreira de um cavaleiro e todos tentam dar o seu melhor. Todos que estavam no desempate mereciam a medalha. A maioria compete todas as semanas e você pode ganhar um GP importante, mas uma medalha olímpica é outra coisa, fica com você para sempre!”

Lamaze e Fine Lady tiveram o melhor tempo, mas com uma falta; img: rio2016.com/divulgação

Lamaze e Fine Lady tiveram o melhor tempo, mas com uma falta; img: rio2016.com/divulgação

O desempenho dos brasileiros

O Brasil teve três representantes na final individual. Na primeira volta Eduardo Menezes e Quintol cometeram duas faltas e não se classificaram para a segunda passagem. Doda Miranda montando Cornetto K e Pedro Veniss com Quabri d´Isle fecharam ambos com uma falta na primeira passagem e ficaram entre os Top 27 na corrida pelo pódio.

Doda fez um percurso limpo, fechando a competição com quatro pontos perdidos na 9ª colocação empatado com outros seis conjuntos. Pedro com Quabri teve um ponto por excesso de tempo somando cinco pontos na 16ª posição, ao lado de dois conjuntos.

Doda Miranda finalizou sua participação na 9ª colocação; img: COB

Doda Miranda finalizou sua participação na 9ª colocação; img: COB

Mais uma vez abrindo a pista para a equipe brasileira, Eduardo explica que aqueceu o cavalo de forma mais leve antes da prova, mas sentiu que ele estava em ótima forma física. “Eu subestimei um pouco a quantidade de energia que o meu cavalo ia ter, por ser o último dia de provas, achei que ele pudesse estar mais cansado. Então a minha preparação no aquecimento foi bem leve, mas no final das contas o cavalo respondeu muito bem, com a mesma energia do primeiro dia. Então isso mudou um pouco o plano que eu tinha para a pista. Achei que fosse dar, mas acabei chegando muito embaixo de um obstáculo e não consegui fechar a prova com zero”, lamentou Eduardo.

Eduardo e Quintol chegaram na 28ª colocação em sua primeira Olimpíada; img: COB

Eduardo e Quintol chegaram na 28ª colocação em sua primeira Olimpíada; img: COB

Pedro veio em seguida com Quabri de L’’Isle. O cavaleiro chegou ao segundo round da disputa, mas com 5 pontos perdidos não foi ao desempate. Pedro se diz satisfeito com o desempenho do Brasil na competição. “A participação do Brasil foi boa, ficamos entre os cinco melhores na competição mais importante do mundo. Estamos tristes de não conseguir a medalha por equipe, mas não podemos falar que o resultado foi ruim. Brigamos com as maiores nações do esporte, no final foram detalhes. Mas isso mostra que estamos no caminho”, comentou Pedro.

Pedro e Quabri também estrearam em Olimpíadas pelo Time Brasil; img: rio2016.com/divulgação

Pedro e Quabri também estrearam em Olimpíadas pelo Time Brasil; img: rio2016.com/divulgação

Mais experiente do time e dono de duas medalhas olímpicas por equipe, Doda foi o último a entrar na pista, com Cornetto K. Mesmo com o percurso zerado na segunda volta, não houve chance de chegar ao desempate, em que seis conjuntos com duplo zero disputaram as medalhas. “Achei que tivemos mais percursos zerados do que pensávamos. Os cavalos estão saltando muito bem, os obstáculos estão chamando a atenção dos cavalos, eles conseguem ler bem a pista, o tempo também pode ter ficado suave. É difícil armar uma Olimpíada, o Guilherme Jorge fez um excelente trabalho. A falta que cometi foi muito leve, difícil conseguir explicar. Mas vamos em frente, agora é pensar na próxima Olimpíada e não parar enquanto a medalha não vier”, finalizou Doda.

Resultado

Brasil Hipismo com as fontes: MKT Mix Comunicação, CBH e FEI; fotos: COB e Rio2016.com